Morales muda quatro ministros após dois anos de governo

Presidente boliviano diz que reestruturação tem como objetivo crescimento econômico e produtivo do país

Efe,

24 de janeiro de 2008 | 03h39

O presidente da Bolívia, Evo Morales, mudou nesta quarta-feira, 23, no início de seu terceiro ano de governo, quatro dos 16 ministros de seu gabinete. Ele disse que seu objetivo é avançar no crescimento econômico e produtivo do país. A reestruturação do governo boliviano foi anunciada em um ato oficial no Palácio Presidencial e que foi convocado com pouca antecedência, seguindo um esquema similar à remodelação de sete ministros que Morales fez há um ano. Morales nomeou Graciela Toro como ministra de Planejamento para o Desenvolvimento. O Ministério de Produção e Microempresa ficará com Ángel Gonzalo Hurtado; a pasta de Obras Públicas, Serviços e Habitação será assumida por Óscar Coca, e a de Saúde e Esportes ficará com Walter Selum. Várias destas mudanças estão relacionadas a "problemas" de gestão, como a habitação e as estradas, que Morales reconheceu na terça-feira em seu relatório ao Congresso Nacional por ocasião de seus dois anos de mandato. Em seu discurso desta quarta-feira, o governante fixou como objetivos para este ano o crescimento econômico e o aumento de produção, com um novo governo que definiu como "uma combinação de consciência social e capacidade intelectual para servir ao povo da Bolívia". Morales pediu que seus ministros sejam "funcionários revolucionários", para mudar o país com uma "política descolonizadora", mas marcada pela "unidade na diversidade".

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaEvo Morales

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.