Morales nomeia representante para entrega de reféns das Farc

Governo colombiano aceita plano de Hugo Chávez para possibilitar a libertação de três seqüestrados

Efe,

27 de dezembro de 2007 | 00h08

O vice-ministro de Coordenação com os Movimentos Sociais da Bolívia, Sacha Llorenti, foi escolhido nesta quarta-feira, 26, pelo presidente boliviano, Evo Morales, para viajar a Bogotá como "fiador" da libertação de três reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), representando o seu país. Veja Também:Libertação será em caravana aérea, diz ChávezFamiliares de reféns confiam no planoChávez 'elogia' portunhol de Lula em coletiva sobre FarcCronologia: do seqüestro à perspectiva de liberdadeEntenda o que são as Farc Em uma breve entrevista no Palácio de Governo, em La Paz, Morales confirmou a escolha de Llorenti, ex-presidente da Assembléia Permanente de Direitos Humanos da Bolívia (APDHB). Brasil, Argentina, Equador, Cuba e França também enviarão representantes para garantir o processo. O governo colombiano aceitou nesta quarta-feira um plano do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para possibilitar a libertação de três reféns seqüestrados pelas Farc. Morales afirmou que o plano é uma "ação humanitária importantíssima". Ele parabenizou Chávez pelo trabalho realizado e o governo colombiano por demonstrar uma "excelente vontade" ao autorizar a entrada de aviões venezuelanos em seu espaço aéreo. A única condição imposta pelo governo da Colômbia para que aviões venezuelanos entrem no seu espaço aéreo é a sua identificação com o símbolo da Cruz Vermelha.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.