Morales pede que não o incluam em 'eixo do mal'

Em programa cômico de TV americano, presidente boliviano critica guerra no Iraque

Reuters,

26 de setembro de 2007 | 09h35

Em uma entrevista concedida a um dos programas mais populares da TV a cabo dos Estados Unidos, o presidente boliviano, Evo Morales, disse na terça-feira, 25, que não faz parte da lista de países inimigos de Washington.   Assista à entrevista (em inglês)  Evo, que participa da Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York, conversou com o apresentador John Stewart do programa The Daily Show, transmitido pelo canal Comedy Central.   O presidente boliviano respondeu às perguntas em espanhol e criticou indiretamente os EUA ao dizer que há países que usam seus soldados para matar e outros para garantir a paz.  O programa de Stewart repassa as notícias da semana e se vale de um formato jornalístico para satirizar políticos e informações veiculadas pela imprensa. "Não me considerem (parte) do eixo do mal", disse Evo, em tom de brincadeira, ao fim da entrevista. Apesar disso, o líder boliviano deve receber nesta semana a visita do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, para estabelecer relações comerciais e diplomáticas com Teerã. O país é considerado por Washington como parte de um "eixo do mal".

Tudo o que sabemos sobre:
Evo MoralesONUBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.