Morales pode rever Constituição para evitar mais crise política

O presidente da Bolívia, Evo Morales, ea chefe da Assembléia Constituinte do país disseram que podemrevisar a proposta de nova Carta para apaziguar a crisepolítica. Quatro dos nove Departamentos (Estados) do paísdeclararam-se autônomos no fim do ano passado para protestarcontra o projeto de Constituição elaborado pela assembléia. "Esperamos que haja a disposição de combinar a novaConstituição ... com os estatutos de autonomia dosDepartamentos para permitir um acordo nacional", disse Moralesna noite de quinta-feira, em reunião com constituintes naresidência presidencial. Segundo Silvia Lazarte, líder da Constituinte e integrantedo partido socialista de Morales, o MAS, "se alguns setores dapopulação querem fazer mudanças, devem propô-las para aassembléia". Esta semana, Morales e governadores da oposição disseramque tentariam fazer emendas e forjar um pacto nacional paraevitar mais turbulências políticas. Morales, um índio aimará que conta com grande apoio popularna região andina da Bolívia, quer dar mais poder político aosgrupos indígenas, enquanto os governadores da oposição, dosDepartamentos mais ricos, produtores de gás natural, queremgarantir sua fatia na receita das exportações. A nova versão da Carta precisa ser submetida a um referendoeste ano. Também são previstos outros referendos para decidirse Morales e os governadores dos Departamentos devem permanecernos cargos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.