Morales receberá Lula e Chávez durante campanha eleitoral

O presidente da Bolívia, Evo Morales,receberá na sexta-feira seus dois principais aliados externos,os presidentes do Brasil e da Venezuela, em plena campanha parao referendo revogatório dos mandatos executivos, ao qual amplossetores da oposição ainda se opõem. Morales confirmou na segunda-feira as visitas simultâneasde Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez, um dia depois deanunciar medidas destinadas a resolver complicadas disputasdiplomáticas com Estados Unidos e Peru. Em 10 de agosto, os bolivianos vão às urnas para revalidarou não os mandatos de Morales e dos dez governadores regionais,a maioria dos quais oposicionistas. Morales disse durante um evento em Santa Cruz, transmitidopela TV pública, que Lula e Chávez anunciarão investimentosrodoviários na Bolívia. O encontro ocorrerá na cidade amazônicade Riberalta, reduto da oposição direitista. Fontes oficiais disseram na semana passada que osinvestimentos a serem anunciados por Lula e Chávez compensarãopelo menos parcialmente a recente suspensão de uma doaçãonorte-americana de 657 milhões de dólares. O Brasil financiaria 230 milhões de dólares para aconstrução de uma estrada de mais de 500 quilômetros entre aregião andina e Riberalta, enquanto a Venezuela cobriria ocusto, não informado, de uma estrada no Departamento de Pando,também no norte do país, segundo as fontes bolivianas. A Bolívia pretendia realizar esses projetos com doações dachamada "Conta do Milênio", mas Washington suspendeu essa ajudaa La Paz devido ao discurso anti-americano de Morales. No próximo dia 21, o secretário-adjunto de Estado dos EUApara o Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, irá a La Paz paradiscutir uma possível reaproximação. No domingo, Morales disse também estar disposto a se reunirrapidamente com o presidente peruano, Alan García, para superaras diferenças das últimas semanas com relação à negociação daComunidade Andina, da qual ambos os países participam, com aUnião Européia. García não escondeu sua contrariedade pelas críticas deMorales à construção de uma base militar dos EUA em territórioperuano. Desde então, porém, as chancelarias de ambos os paísesvêm promovendo uma reaproximação.

CARLOS ALBERTO QUIROGA, REUTERS

14 de julho de 2008 | 17h43

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAMORALESCAMPANHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.