Moratinos enviará processo de Velasco a Caracas

Chanceler espanhol defendeu juiz que investiga suposta ligação entre ETA-FARC e a Venezuela

Efe,

08 de março de 2010 | 18h52

O ministro espanhol de Assuntos Exteriores, Miguel Angel Moratinos, manifestou nesta segunda-feira, 8, seu apoio ao juiz Eloy Velasco e ao ex-presidente José María Aznar, criticados pelo chanceler venezuelano, Nicolás Maduro. Moratinos também anunciou o envio do processo sobre o ETA e as Farc à Caracas.

 

O chanceler espanhol respondeu às declarações de Maduro sobre Velasco, que foi acusado pelo chanceler venezuelano de ter vínculos com a "máfia" do ex-presidente Aznar.

 

O ministro afirmou à Efe que tanto a Justiça como a figura do presidente são duas instituições que contam com o "máximo respaldo e apoio" do Executivo espanhol.

 

Moratinos defendeu Velasco e Aznar, ambos alvos de manifestações que, segundo fontes ministeriais, foram feitas dois dias antes do comunicado conjunto dos governos venezuelano e espanhol emitido no último dia 6.

 

Nele, os dois países expressaram sua vontade comum de seguir lutando contra o ETA e de cooperar com a Justiça espanhola para esclarecer a suposta aliança entre este grupo terrorista e as FARC.

 

As mesmas fontes explicaram à Efe que as declarações de Maduro foram gravadas dois dias antes desse comunicado porque iriam ser transmitidas em um programa de televisão no domingo.

 

O Ministério espanhol de Assuntos Exteriores enviará à Embaixada da Venezuela em Madrid o processo de Velasco para que seja remitido ao governo venezuelano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.