Scott Dalton/AP
Scott Dalton/AP

Morre na Colômbia 'Alfonso Cano', líder máximo das Farc

Morte teria acontecido há duas semanas, mas só agora foi confirmada a identidade do rebelde

Efe,

05 de novembro de 2011 | 01h59

BOGOTÁ - O líder máximo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), conhecido como "Alfonso Cano", morreu na Colômbia, informou na sexta-feira, 4, à Agência Efe uma fonte do Ministério da Defesa do país.

Embora a fonte não tenha detalhado nem a data nem o local da morte de Guillermo León Sáenz, verdadeiro nome de "Alfonso Cano", se especula que inclusive sua morte teria acontecido há duas semanas, mas só agora foi confirmada plenamente a identidade do rebelde.

Horas antes de se confirmar a morte do líder máximo das Farc, se especulou que ele estivesse ferido como resultado de um bombardeio a um acampamento desta guerrilha no sudoeste do país.

O ministro da Defesa colombiano, Juan Carlos Pinzón, disse anteriormente em entrevista coletiva que em uma ofensiva contra "Alfonso Cano" foram capturados quatro guerrilheiros, entre eles seu chefe de segurança, conhecido como "El Índio Efraín".

Nessa operação, realizada na Salvajina (departamento de Cauca), também morreram um operador de rádio e a suposta companheira de "Cano".

A morte do líder máximo das Farc aconteceu depois da de Luis Edgar Devia, conhecido como "Raúl Reyes" em março de 2008 em território equatoriano, e a de Víctor Julio Suárez Rojas, conhecido como "Jorge Briceño Suárez ou Mono Jojoy", em setembro de 2010, na Serranía de La Macarena, no sul do departamento de Meta.

"Alfonso Cano" assumiu o comando das Farc após a morte de Manuel Marulanda Vélez conhecido como "Tirofijo".

 

Tudo o que sabemos sobre:
colômbiaalfonso canofarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.