Motorista no caso de dissidente cubano ia perder habilitação

O político espanhol Ángel Carromero, que estava dirigindo um carro que se acidentou em Cuba no mês passado, causando a morte do principal dissidente cubano, Oswaldo Payá, estava prestes a ter sua carteira de habilitação revogada, informou o órgão da Espanha responsável pelo tráfego nacional.

Reuters

03 de agosto de 2012 | 21h15

Carromero é vice-presidente do movimento "Novas Gerações", do governista Partido Popular (PP).

Em maio, a Direção Geral do Tráfego da Espanha advertiu Carromero de que estava iniciando o processo para retirar a sua carteira de habilitação --de acordo com registros oficiais divulgados pela imprensa local-- e informou que ele teria 10 dias para apelar da decisão.

A DGT não estava disponível para comentar o caso.

Autoridades cubanas anunciaram nesta semana que Carromero pode ser indiciado por homicídio pelas mortes do dissidente Oswaldo Payá e de um colega. Um outro passageiro, um sueco, também sobreviveu.

O jornal do Partido Comunista cubano, o Granma, informou que foram iniciados os procedimentos legais contra Carromero, que supostamente estava em alta velocidade quando perdeu o controle do carro em um trecho de estrada em reparos, batendo contra uma árvore.

O diário espanhol El Pais disse que Carromero excedeu o limite de pontos em sua carteira depois de ter cometido 45 infrações de trânsito desde março de 2011, incluindo três por excesso de velocidade. A maioria era relacionada a estacionamento.

A mídia estatal cubana também divulgou vários documentos espanhóis sobre o histórico de Carromero como motorista, incluindo uma multa de 520 euros em janeiro de 2010 por dirigir em velocidade 50 por cento ou mais acima do limite no local.

Carromero está provisoriamente preso em Havana e poderá pegar até 10 anos de prisão por cada uma das mortes, se for julgado e condenado.

(Reportagem de Paul Day e Amanda Cooper em Madri)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBAPAYAMOTORISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.