Na Colômbia, 29 guerrilheiros das Farc deixam as armas

Entre os rebeldes, há uma criança de dois anos e outros três menores, um de 15 anos e dois de 17

Efe,

24 de janeiro de 2008 | 00h42

Um casal de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) com um filho de menos de dois anos de idade e outros 27 rebeldes se entregaram a tropas do Exército em duas regiões da Colômbia, informaram nesta quarta-feira, 23, as autoridades militares de Bogotá. As deserções ocorreram em pontos montanhosos ou selváticos dos departamentos de Caldas e Vichada, segundo relatórios divulgados pelo Exército Nacional, cujo comandante, o general Mario Montoya, recebeu pessoalmente 13 rebeldes. Os 13 desmobilizados pertenciam à frente 47 das Farc, e deixaram as armas em Florença, aldeia nas montanhas da cidade de Samaná, em Caldas, para onde se deslocou Montoya. O terceiro em comando da facção, John Freddy Loaiza, liderou o grupo de desmobilizados, dentre os quais se encontram sua esposa, a também guerrilheira Yamile Echeverri. O casal estava acompanhado de seu filho, uma criança de apenas dezenove meses, destacaram as autoridades militares da região, que indicaram que entre os desertores também estão três menores de idade, um de 15 anos e dois de 17. Os outros 16 insurgentes pertenciam à frente 16 das Farc, e se entregaram em Vichada, departamento selvático fronteiriço com a Venezuela. O comandante da Quarta Divisão do Exército colombiano, o general Guillermo Quiñónez, disse à imprensa em Villavicencio, sede de sua unidade, que os rebeldes desertaram na segunda-feira passada, de maneira individual ou em pequenos grupos, em Güérima e Chupave, aldeias de Cumaribo. Os 16 desertores foram levados em aeronaves militares até Villavicencio, disse o general Quiñónez, que apontou que as ações na região também permitiram a descoberta de mais de 12 mil cartuchos de munição e 39 granadas, entre outros apetrechos.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.