Na Unasul, Venezuela confirma perdão de dívida do Haiti

Reunião de líderes sul-americanos define fundo de US$ 300 milhões para ajudar na reconstrução do país

Efe,

10 de fevereiro de 2010 | 10h02

O governo da Venezuela confirmou na terça-feira, 9, o perdão da dívida de US$ 395 milhões do Haiti, em anúncio feito pelo chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, após a cúpula da União de Nações Sul-americanas (Unasul), que aconteceu em Quito, no Equador.

Tragédia no Haiti:

link Total de mortos supera o do tsunami

Maduro lembrou que no último dia 25 de janeiro, ao final de uma reunião da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba), em Caracas, o presidente Hugo Chávez, anunciou o perdão da dívida do Haiti.

"O comandante Hugo Chávez decidiu perdoar a dívida de US$ 395 milhões de nosso irmão Haiti com a Venezuela", pelas provisões de carburantes que recebe.

Além disso, "a Venezuela decidiu manter a cota permanente, sem custos, de gasolina, que estão sendo distribuídos com muita dificuldade" no Haiti, acrescentou Maduro.

VEJA TAMBÉM:
video Assista a análises da tragédia
mais imagens As imagens do desastre
blog Blog: Gustavo Chacra, de Porto Príncipe
especialEntenda o terremoto
especialInfográfico: tragédia e destruição
especialCronologia: morte no caminho da ONU
lista Leia tudo que já foi publicado

As ações fazem parte de uma série de outras que o governo de Caracas realizou no Haiti, em coordenação com o Executivo de Porto Príncipe, e que, segundo Maduro, se centrou no atendimento sanitário aos desabrigados do terremoto que assolou o país caribenho no último dia 12 de janeiro.

Na cúpula, foi aprovada a criação de um fundo de US$ 300 milhões, que deve ser organizado ainda em fevereiro. Os líderes sul-americanos voltarão a se reunir no próximo dia 20 na cidade mexicana de Cancún para concretizar o fundo.

As principais linhas de ação de ajuda da Unasul para o Haiti, que inclui uma resolução de cooperação permanente, surgiram dos requerimentos específicos propostos pelo presidente haitiano, René Préval, que compareceu à reunião em Quito para informar sobre as necessidades de seu país depois do terremoto de 12 de janeiro.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHaitiUnasul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.