Navio militar argentino que havia sido retido deixa Gana

Uma embarcação da Marinha argentina que havia sido retida em Gana a pedido de investidores deixou nesta quarta-feira a nação africana, segundo uma autoridade portuária.

Reuters

19 de dezembro de 2012 | 20h24

O veleiro-escola ARA Libertad havia sido arrestado graças a uma ordem da Justiça ganense obtida pelo fundo NML Capital, que diz ter tido prejuízo de 300 milhões de dólares com a moratória da dívida externa argentina, em 2002.

O Tribunal Internacional para a Lei do Mar determinou no sábado que Gana deveria liberar o navio, com base na argumentação argentina de que uma convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) confere imunidade a navios militares diante de ações civis, quando atracados em portos estrangeiros.

O navio argentino havia sido apreendido em 2 de outubro no porto ganense de Tema. Horas antes, um avião havia pousado em Gana procedente de Buenos Aires, trazendo 98 marinheiros que substituiriam os 326 tripulantes que haviam deixado o navio em outubro, mantendo nele apenas um contingente mínimo.

(Reportagem de Kwasi Kpodo e Hilary Burke)

Mais conteúdo sobre:
ARGENTINAGANANAVIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.