Enrique Garcia Medina/Efe
Enrique Garcia Medina/Efe

Néstor Kirchner passa bem após cirurgia vascular na Argentina

Ex-presidente do país foi internado às pressas no domingo após sentir formigamento nas pernas e nos braços

GUIDO NEJAMKIS, REUTERS

08 de fevereiro de 2010 | 08h06

O deputado e ex-presidente argentino Néstor Kirchner, marido da presidente Cristina Kirchner e considerado um político poderoso na Argentina, passou no domingo por uma bem-sucedida cirurgia de emergência por conta de uma "patologia em sua artéria carótida direita". 

Veja também:

blog Ariel Palácios: Um governo pendente da carótida  

A operação permitiu a retirada de uma placa ulcerada de uma das artérias que leva sangue ao cérebro.

O ex-presidente, que governou a Argentina entre 2003 e 2007, tem uma grande influência no governo de sua mulher.

Os Kirchners são conhecidos na Argentina como o "casal presidencial", devido à militância conjunta de ambos e à forma compartilhada com que tomam decisões.

"Começou com alguns transtornos de mobilidade em seu membro superior esquerdo e a intervenção foi decidida. Acabou tudo de forma muito satisfatória", disse o cardiologista Victor Caramutti, que operou Kirchner, ao canal C5N.

"Acordou bem, está em perfeitas condições", acrescentou.

Kirchner tem a companhia da presidente Cristina Kirchner, dos dois filhos do casal e de outros membros do governo no centro médico privado Los Arcos.

"Há instantes acabou a cirurgia efetuada no doutor Néstor Carlos Kirchner, a qual foi bem-sucedida. O paciente permanece em terapia intensiva com controle evolutivo", disse em nota o sub-diretor da Unidade Médica Presidencial, Marcelo Ballesteros.

Por ser chefe do governante partido peronista e por sua forte influência sobre poderosos caciques políticos em províncias e municípios, Kirchner é constantemente apontado como possível candidato presidencial nas eleições de 2011.

(Reportagem adicional de Fiona Ortiz)

Tudo o que sabemos sobre:
ARGENTINAKIRCHNERHOSPITAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.