Nicanor Duarte admite responsabilidade por derrota governista

Fernando Lugo foi eleito presidente neste domingo e toma posse no dia 15 de agosto

Efe,

21 de abril de 2008 | 00h03

O presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, admitiu sua responsabilidade "histórica" na derrota do Partido Colorado após seis décadas de hegemonia no poder nas eleições gerais realizadas neste domingo, 20, no país. "Eu assumirei minha responsabilidade histórica", declarou Duarte em entrevista coletiva ao destacar que pela primeira vez acontecerá em seu país uma transferência de um partido para outro "sem derramamento de sangue, sem golpe de Estado, sem revolta". Acrescentou que o ocorrido no Paraguai, cujo histórico político é regido por distúrbios e Governos de tutela militar como o da ditadura passada, "é um fato habitual nas democracias do mundo, na região, embora muitos acreditem que este episódio possa gerar alterações". Além disso, Duarte agradeceu aos simpatizantes de seu partido e destacou o papel do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE), cuja tarefa foi elogiada pelos observadores internacionais que supervisionaram a transparência das eleições. "Como presidente da República expresso minha absoluta convicção democrática e decidido respaldo ao processo de transição que iniciaremos oportunamente" com a oposição, asseverou Duarte, que passará o poder a Lugo no próximo dia 15 de agosto. A partir de então, Duarte liderará a futura oposição a partir do Senado, já que é líder governista desta casa legislativa. "O coloradismo vai lutar com firmeza e integridade pela reconstrução de uma convicção serena em direção à grandeza de nossa pátria, a partir da oposição", disse. Segundo o TSJE, o ex-bispo Fernando Lugo, de uma ampla coalizão opositora de partidos de centro-direita e de esquerda, venceu com uma vantagem de dez pontos sobre a candidata presidencial governista, a ex-ministra da Educação, Blanca Ovelar. O vice-presidente do TSJE, Juan Manuel Morales, detalhou que Lugo obteve 40,83% dos votos e Ovelar 30,71%, apurados 92% dos resultados preliminares rápidos. Morales acrescentou que em terceiro lugar está o general reformado Lino Oviedo, com 21,98%.

Tudo o que sabemos sobre:
Paraguaieleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.