Nicolás Maduro assume Presidência interina da Venezuela

Nicolás Maduro fez juramento nesta sexta-feira como presidente interino da Venezuela enquanto esquenta os motores para concorrer nas futuras eleições, confiante de que vencerá com o impulso da popularidade e carisma do líder socialista Hugo Chávez, morto na terça-feira.

Reuters

08 de março de 2013 | 21h57

A designação do até agora vice-presidente do país e um dos mais próximos colaboradores do falecido mandatário foi apoiada nesta sexta-feira pelo Tribunal Supremo de Justiça, que decidiu que ele não deve renunciar a seu cargo para ser candidato nas eleições, que poderão acontecer nas próximas semanas.

"Juro em nome da lealdade mais absoluta ao comandante Hugo Chávez que cumpriremos e faremos cumprir essa Constituição bolivariana com a mão dura de um povo disposto a ser livre", disse Maduro com a mão levantada diante da Constituição antes de receber a faixa presidencial das mãos do chefe da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello.

Mas a tomada oficial do poder foi criticada pelo opositor Henrique Capriles, que perdeu contra Chávez as eleições de outubro do ano passado.

Capriles qualificou o juramento de fraude, argumentando que segundo a Constituição a falta absoluta do falecido presidente deve ser coberta pelo chefe da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello.

"Esse juramento que vai acontecer agora nas condições que estão querendo, esse é um juramento completamente falso. Ninguém elegeu Nicolás Maduro como presidente", disse ele em entrevista coletiva antes da posse de Maduro.

(Reportagem de Ana Isabel Martínez)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAMADUROASSUME*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.