Miguel Gutierrez/Efe
Miguel Gutierrez/Efe

No 'Dia de Lealdade a Chávez', votação municipal é tranquila na Venezuela

Mais de 19 milhões de venezuelanos estão habilitados para eleger 2700 ocupantes de cargos eletivos

Roberto Lameirinhas - Enviado Especial,

08 de dezembro de 2013 | 15h38

A eleição municipal venezuelana transcorria neste domingo, 8, de forma ordeira e sem nenhum incidente relevante, apesar das filas que se formaram em alguns distritos importantes, principalmente na área da capital, Caracas. Em El Hatillo, uma das municipalidades que integram a área metropolitana do Distrito Federal, a votação era mais demorada porque o candidato a prefeito escolhido pelas primárias da opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) morreu e vários partidos que compõem a aliança indicaram seus próprios aspirantes. Com isso, o eleitor tem de permanecer na urna eletrônica por mais tempo, uma vez que não dispõe da opção de votar na lista toda da MUD.

No Colégio 23 de Enero, onde o presidente Hugo Chávez, morto em 5 de março, votava, a situação era de total normalidade. Embora se esperasse que chavistas fossem até o local para homenageá-lo no Dia de Lealdade e Amor ao Presidente Chávez, nenhuma manifestação tinha sido registrada até o meio o começo da tarde.

Mais de 19 milhões de venezuelanos estão habilitados para eleger 2.700 ocupantes de cargos eletivos, incluindo 335 prefeitos, 2 governadores - das regiões metropolitanas de Caracas e Distrito do Alto Apure - e 1.700 vereadores.

Tudo o que sabemos sobre:
venezuelamunicipal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.