No sudoeste da Colômbia, 18 guerrilheiros do ELN entregam armas

Mais de 21 mil membros de grupos armados se desmobilizaram durante governo Uribe

Efe,

12 de julho de 2010 | 17h47

BOGOTÁ- Um total de 18 guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) decidiram abandonar as armas e se desmobilizar perante as Forças Militares em uma região do sudoeste da Colômbia, informaram nesta segunda-feira, 12, fontes oficiais.

 

Veja também:

linkVenezuela vai deportar três colombianos procurados pelos EUA

linkIngrid Betancourt diz que não vai processar governo da Colômbia 

 

Os rebeldes "depuseram suas armas perante as tropas do comando conjunto 'pacífico' das Forças Militares", na área rural de Barbacoas, no departamento de Nariño, precisaram as fontes.

 

Segundo um comunicado de imprensa do Comando Geral das Forças Militares, "a pressão das tropas e as constantes mensagens emitidas através de rádio motivaram a decisão dos 18 membros" da organização.

 

O comunicado acrescentou que "ao se apresentarem perante as tropas, manifestaram a vontade de deixar as armas e obter os benefícios oferecidos pelo Governo Nacional através do Programa de Atenção Humanitária ao Desmobilizado".

 

Os 18 desmobilizados, 12 homens e seis mulheres, entregaram seus fuzis e um lança-granadas às tropas.

 

Desde agosto de 2002, quando o primeiro governo do presidente Álvaro Uribe foi iniciado, se desmobilizaram individualmente cerca de 21,9 mil membros de grupos armados da esquerda e da extrema-direita armada, e mais de 30 mil de maneira coletiva, segundo fontes oficiais.

Tudo o que sabemos sobre:
ELNFarcgrupo armadoColômbiaarmas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.