Nomeação de novo embaixador do Brasil em Caracas é vetada

Caráter democrático do governo Chávez foi colocado em xeque na Comissão de Relações Exteriores do Senado

Efe,

11 de março de 2010 | 17h28

A oposição brasileira bloqueou nesta quinta-feira, 11, a nomeação do novo embaixador do país na Venezuela em meio a uma áspera discussão na qual alguns parlamentares colocaram em dúvida o caráter democrático do presidente Hugo Chávez.

 

O debate ocorreu na Comissão de Relações Exteriores do Senado, que deveria votar sobre a designação do diplomata José Antonio Marcondes de Carvalho como novo embaixador em Caracas.

 

O presidente da comissão, senador Eduardo Azeredo, do PSDB, decidiu suspender a votação ante uma moção do colega Flexa Ribeiro, que afirmou que a comissão deve conhecer a realidade política venezuelana.

 

O senador elogiou o diplomata, mas disse que o Brasil deve manter uma posição "firme e crítica" ante o governo de Chávez, "que mais de uma vez teve posições hostis" em relação ao Congresso brasileiro, aludindo a polêmicas surgidas em torno da adesão da Venezuela ao Mercosul.

 

 

O senador Artur Virgílio, do PSDB, respaldou a moção e declarou que o Congresso brasileiro não pode permanecer calado ante o que qualificou de "remoção das liberdades" na Venezuela.

 

A votação na Comissão de Relações Exteriores do Senado ficou pendente para uma próxima votação, na qual provavelmente o diplomata Marcondes de Carvalho será convocado. Marcondes foi proposto pelo governo para substituir Antonio José Simões em Caracas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.