Noriega perde outra batalha na luta contra extradição

França que julgar ex-ditador panamenho, preso nos Estados Unidos, por lavagem de dinheiro

TOM BROWN, REUTERS

09 de janeiro de 2008 | 17h58

O ex-ditador panamenho Manuel Noriegaperdeu na quarta-feira mais uma batalha em sua luta contra opedido da França para que ele seja extraditado dos EstadosUnidos para ser julgado por lavagem de dinheiro. Os advogados dele alegavam que o governo francês iriadesrespeitar os termos de uma sentença num caso de narcotráficonos EUA, em 1992, que lhe garantiu o status de "prisioneiro deguerra" e proteções especiais sob a Convenção de Genebra. Mas o juiz norte-americano Paul Huck considerou queNoriega, de 73 anos, continuaria recebendo os privilégios depreso de guerra depois da extradição, que foi aprovada emagosto por um tribunal federal de Miami. "[O governo francês] se comprometeu a fornecer todos osbenefícios que um prisioneiro de guerra tem direito sob aconvenção. A que mais ele pode ter direito?", disse Huck. Os advogados de Noriega prometeram recorrer. Noriega já foi condenado na França por usar dividendos donarcotráfico para comprar três apartamentos de luxo. Jon May,advogado de Noriega, disse que desde agosto já houve, contandocom esta, quatro sentenças em favor da extradição.

Tudo o que sabemos sobre:
PANAMANORIEGAEXTRADICAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.