Nove mineiros estão há dois dias presos em galeria de acesso no sul do Peru

Trabalhadores estão a 250 metros da superfície, em um túnel horizontal, após um deslizamento em uma galeria de acesso no morro onde se encontra a mina de cobre Cabeza de Negro

Luis Jaime Cisneros, AFP,

07 de abril de 2012 | 19h58

LIMA - As equipes de resgate redobraram esforços neste sábado, 7, para resgatar vivos os nove mineiros presos desde quinta-feira na galeria de acesso de uma mina no sul do Peru, já que foi impossível levar a maquinaria pesada até o topo da colina onde fica a mina informal Cabeza de Negro

"Eles estão vivos, mas evitei usar uma retroescavadeira pela dificuldade de carregá-la em um caminhão na ladeira que leva ao morro", disse ele por telefone à AFP Erin Gomez, Secretário Técnico Provincial da Defesa Civil em Ica, 325 km ao sul Lima.

Os mineiros estão presos a 250 metros da superfície, em um túnel horizontal, após um deslizamento em uma galeria de acesso no morro onde se encontra a mina de cobre Cabeza de Negro, na aldeia de Quilque, distrito de Yauca del Rosario na região de Ica.

As operações de resgate se intensificaram no sábado com a substituição dos esgotados policiais e bombeiros presentes no local há mais de 40 horas por novo pessoal,acrescentou Gómez.     

Na melhor das hipóteses "o resgate poderia terminar na noite de sábado ou no domingo, mas tudo depende de que não se produzam outros deslizamentos no momento de remover os escombros que estão obstruindo a galeria", assinalou à AFP o funcionário da Defesa Civil.

As equipes de resgate levaram medicamentos, bebidas reidratantes e oxigênio ao exterior da mina, onde se improvisou um pequeno acampamento.

     

Presos há mais de 48 horas, os mineiros comunicaram que alguns deles "estão sofrendo quadros de desidratação e alteração da saúde mental pela preocupação em sair",observou Alberto Borja, da Direção Regional de Saúde à rádio RPP Lima estação ao retornar da mina.

Segundo Borja, "todos estão juntos e ilesos. Sua maior preocupação é que eles recebam líquidos. Enviamos a eles 100 garrafas de reidratantes", disse.

           

"Os mineiros são isolados por um deslizamento de terra que bloqueou o túnel, mas eles estão recebendo água e oxigênio através de um sistema de canal", acrescentou Erin Gomez.

A comunicação estaria sendo realizada através de uma mangueira, segundo as equipes de resgate.

A Defesa Civil havia planejado resgatar os mineiros durante o dia com a ajuda de uma retroescavadeira, mas era impossível  levar a maquinaria ao morro em um caminhão pela difícil rota de acesso.

Diante deste cenário, as autoridades locais solicitaram o envio de equipes de resgate especializadas, que deveriam chegar antes da tarde deste sábado ao local do acidente.

"A remoção de escombros estava adiantada a 90%, mas como está acontecendo de maneira artesanal, causou um novo colapso, que fez a situação voltar ao marco zero", disse Borja ao resumir a situação atual.

A mina Cabeza de Negro é uma jazida artesanal e informal de cobre que é explorada em condições precárias, após a exploração legal ter sido abandonada há mais de duas décadas por seus proprietários.

Esse tipo de mineração é realizada muitas vezes sem medidas de segurança e observância à lei, o que faz com que os deslizamentos sejam frequentes.

Em março passado, três mineiros morreram presos em uma galeria de acesso quando trabalhavam em condições informais em Jicamarca, ao leste de Lima .

A mineração artesanal ou informal é uma atividade em ascensão nos últimos anos no Peru, um dos maiores produtores mundiais de prata, cobre e ouro.  

Ao total, 52 mineiros morreram em 2011 em acidentes de trabalho, segundo números do ministério de Energia e Minas, que não diferencia as vítimas de mineração formal e informal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.