Nuvem de cinzas vulcânicas ainda afeta voos na América do Sul

Aeroportos da Argentina, do Uruguai e do Chile registram atrasos e cancelamentos desde sábado

Reuters

09 de junho de 2011 | 17h31

Filas no aeroporto de Santiago, Chile

 

BUENOS AIRES - A espessa nuvem de cinzas expelida pelo vulcão chileno Puyehue voltou a suspender as operações em aeroportos da Argentina e do vizinho Uruguai na quinta-feira, 9, forçando companhias aéreas a cancelar dezenas de voos, segundo autoridades do setor aeroportuário. A atividade nos terminais do Chile também foi afetada.

 

Veja também:

mais imagens Galeria: Imagens da erupção e suas consquências

O vulcão, adormecido há décadas, entrou em erupção no centro-sul do Chile na semana passada, o que provocou uma nuvem de cinzas sobre os Andes e que está atrapalhando o tráfego aéreo na América do Sul há dias.

"Por conta do aparecimento na área metropolitana de Buenos Aires de uma nova nuvem de cinzas do vulcão Puyehue, voos (de e para) os aeroportos de Ezeiza e Aeroparque foram cancelados", disse a autoridade de transportes em comunicado. Buenos Aires é um dos principais pontos de conexão aérea para a América do Sul, com dezenas de voos diários para outros países da região, assim como Europa e Estados Unidos.

O presidente uruguaio, José Mujica, suspendeu a visita agendada à capital da Argentina por falta de condições de voo, disse um porta-voz do governo à Reuters, e um encontro de ministros das Finanças e chefes de bancos centrais da América do Sul marcado para a sexta-feira foi cancelado.

Além dos dois aeroportos que atendem Buenos Aires, sete outros regionais na Argentina foram fechados por conta da nuvem de cinzas vulcânicas. De acordo com as autoridades, os voos só serão liberados quando as condições de voo voltarem a ser seguras.

O resort de Bariloche, no sul da Argentina, estava coberto de cinzas e autoridades locais pediram às pessoas para ficaram em casa e não dirigirem por conta da baixa visibilidade.

 

Uruguai

O aeroporto de Montevidéu, capital do Uruguai, também foi fechado, já que os ventos levaram as cinzas ao país, escurecendo o céu da nação sul-americana.

 

A companhia aéreas TAM e Gol, assim como a chilena LAN, suspenderam todos os voos com destino e procedentes de todos os aeroportos de Buenos Aires e Montevidéu, de acordo com as empresas. De acordo com a Infraero, empresa que administra os aeroportos brasileiros, 48 voos internacionais foram cancelados em todo o país dos 132 previstos até as 17h, ou 36,4%.

A cadeia de vulcões Puyehue-Cordon Caulle tem cerca de 2 mil vulcões e é a segunda maior do mundo, atrás apenas da Indonésia. Esta foi a mais recente em uma série de erupções vulcânicas no Chile nos últimos anos. O vulcão chileno Chaitén entrou em erupção de maneira espetacular em 2008 pela primeira vez em milhares de anos, arremessando rochas derretidas e uma vasta nuvem que chegou à estratosfera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.