Obama expressa sentimento da maioria dos EUA, diz Cuba

Chanceler cubano elogia iniciativa de pré-candidato democrata de criticar restrições impostas por Bush

Associated Press e Agência Estado,

22 de agosto de 2007 | 13h40

O chanceler de Cuba, Felipe Pérez Roque, afirmou nesta quarta-feira, 22, que o pré-candidato presidencial democrata Barack Obama expressou o sentimento da maioria dos americanos quando criticou restrições impostas pelo governo Bush a viagens à ilha comunista.   Veja também: Obama defende medidas para aproximar Cuba pós-Fidel   "Essas declarações expressam um sentimento majoritário nos Estados Unidos, as medidas draconianas adotadas pelo governo do presidente (George W.) Bush violam os direitos constitucionais dos americanos e constituem um anacronismo, um ato bárbaro", afirmou Pérez Roque ao chegar ao Itamaraty, onde participa nesta quarta e quinta-feira de um foro entre países latino-americanos e do leste da Ásia. São igualmente bárbaras medidas adotadas em Washington "para endurecer o bloqueio contra Cuba para tentar fazer nosso povo se render pela fome e doenças, mas estamos certos de que no fim o bloqueio terá de ser desmontado e os direitos de Cuba, respeitados", acrescentou. Em um artigo publicado no jornal The Miami Herald, Obama considerou um erro estratégico colossal a decisão de endurecer as restrições a viagens de cubanos exilados a Cuba, assim como o envio de dinheiro aos familiares que ficaram na ilha, e prometeu que se eleito suspenderá as medidas adotadas por Bush. "O principal meio que temos para fomentar uma mudança positiva em Cuba é ajudando o povo cubano a ser menos dependente do regime de Castro por vias fundamentais", escreveu Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.