Obama fala de novo com Lula sobre socorro ao Haiti

Presidente dos EUA sugere que os dois países liderem reconstrução haitiana junto ao Canadá

Leonencio Nossa,

18 de janeiro de 2010 | 20h32

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta segunda-feira, 18, um novo telefonema do presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, e os dois voltaram a conversar sobre a situação no Haiti e as operações conjuntas do Brasil e dos EUA no socorro àquele país e às vítimas do terremoto. A informação é da Secretaria de Imprensa da Presidência.

 

Veja também:

linkOEA diz que é preciso agilizar e coordenar ajuda aos haitianos

linkBrasil pode dobrar presença no Haiti, diz comandante

linkLula reforça papel do Brasil na coordenação de forças do Haiti

 

Na conversa, que durou cerca de 15 minutos, a partir das 16 horas, Obama disse que os dois países precisam se manter unidos em torno dessas tarefas, pois possuem as maiores forças no Haiti. O Brasil, segundo Obama, conhece a geografia do Haiti, a população e os costumes locais. Ele sugeriu que Brasil, Estados Unidos e Canadá liderem o esforço de reconstrução do País e de doações à população flagelada.

 

De acordo com a informação da Secretaria de Imprensa, Obama disse que, no próximo dia 25, ministros de Relações Exteriores estarão reunidos no Canadá para discutir o envio de ajuda ao Haiti. O presidente afirmou ainda que o presidente da França, François Sarcozy, propôs uma reunião de chefes de Estado na Martinica. Lula se declarou disposto a mudar sua agenda, se for necessário, para participar de qualquer reunião sobre o assunto.

 

Na conversa com Obama, Lula manifestou sua preocupação com a sobrecarga de tarefas da Missão das Nações Unidas no Haiti (Minustah). "Foi uma desgraça o que ocorreu, e a Minustah não pode cuidar de tudo", disse Lula. O chefe de estado mencionou ainda o problema da distribuição de água e alimentos e avaliou que essa deveria ser uma tarefa dos haitianos, mas é preciso saber se eles estão em condições de realizar esse trabalho.

 

Na manhã desta segunda, Lula já havia recebido um telefonema do presidente Sarkozy sobre o problema do Haiti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.