Obama pede reunião com Unasul antes de Cúpula das Américas

Assessor de Lula diz que Brasil tentará anular a expulsão de Cuba da Organização dos Estados Americanos (OEA)

Reuters e Associated Press,

15 de abril de 2009 | 12h15

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, solicitou à presidente do Chile, Michelle Bachelet, a convocação de uma reunião com os membros do Unasul neste sábado pela manhã em Trinidad e Tobago onde será realizada a 5ª Cúpula das Américas. A informação foi dada pelo assessor para assuntos internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, que esteve reunido na manhã desta quarta-feira, 15, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, onde ambos confirmaram presença na reunião solicitada por Obama.

"Lula reiterou a importância que Cuba terá na reunião não para criar um constrangimento para os Estados Unidos, mas a ausência de Cuba na reunião das Américas é uma anomalia e precisa ser corrigida", disse Garcia.  Foi comentado também que Lula vai tentar anular a expulsão de Cuba da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Durante o encontro entre Lula e Uribe foi feito um balanço das relações bilaterais e a criação de uma possível linha de crédito do Brasil para a Colômbia para facilitar o comércio entre os dois países. Garcia não soube informar o valor da linha, mas disse que seria nos moldes da que o país já mantém com a Argentina e que visa estimular o crédito. "Como disse o Lula no G20, é preciso irrigar o comércio mundial", acrescentou Garcia, afirmando que a linha poderá ser via BNDES ou Proex.

Também na reunião desta manhã, Lula discutiu com Uribe a possibilidade de o comércio entre os dois países passar a ser feito com moedas locais, o que será discutido com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

 

Evo participa

 

O presidente da Bolívia, Evo Morales, viajará às reuniões de cúpula previstas para quinta-feira, na Venezuela, e em Trinidad e Tobago entre sexta-feira e domingo. Ele acaba de superar uma crise política, durante a qual fez greve de fome.  O presidente havia suspendido sua participação nas cúpulas da Alternativa Bolivariana para as Américas e na das Américas, por causa da situação interna boliviana. Mas, nesta quarta-feira, seus ministros o convenceram da importância desses encontros, disse o porta-voz presidencial Iván Canelas em entrevista coletiva.

 

Evo viajará à Venezuela na noite desta quarta-feira, para o encontro da Alba, integrada também por Cuba, Nicarágua e Dominica. Nesse encontro, os presidentes analisarão, entre outros temas, a posição deles na V Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, entre os dias 17 e 19, com a presença de 34 chefes de governo.

 

Na semana passada, Evo disse que levará à Cúpula das Américas uma proposta de resolução para que os EUA levantem o embargo a Cuba, aproveitando a presença do presidente norte-americano, Barack Obama.

 

O boliviano iniciou uma greve de fome na quinta-feira e a suspendeu na terça-feira, após o Congresso aprovar uma nova lei eleitoral e garantir a realização de eleições no fim do ano. O presidente poderá tentar a reeleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.