Odebrecht insiste em estudo 'independente' no Equador

Empresa brasileira sustenta que os danos na central hidrelétrica poderiam ter acontecido por 'várias causas'

Efe,

20 de outubro de 2008 | 02h17

A empresa Odebrecht insistiu neste domingo, 19, em sua disposição para que se realize um estudo "independente" para determinar as causas dos erros na central hidrelétrica San Francisco, origem de uma disputa com o governo do Equador, informou a televisão local Ecuavisa. A Odebrecht sustenta que os danos poderiam ter acontecido por "várias causas", por isso que reiterou a possibilidade de um estudo independente. "A Odebrecht sempre esteve e continua à disposição do governo equatoriano para que tais averiguações sejam realizadas por uma instituição independente", acrescenta. A empresa brasileira lamentou que o caso tenha degenerado em decretos presidenciais que afetaram pessoas que, segundo dizem, não estão envolvidas no projeto San Francisco pois, entre outras, foram cancelados "outros contratos da Odebrecht que estavam em execução normal, dentro dos prazos previstos". O presidente do Equador, Rafael Correa, ratificou no sábado que o problema em torno da central hidrelétrica San Francisco, é um assunto entre o Estado e uma empresa privada "que descumpriu seu contrato" e não de Estado para Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
OdebrechtEquadorBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.