OEA estuda convocar de chanceleres por conflito entre Costa Rica e Nicarágua

Organização aprovou resolução para países criarem comissão diplomática binacional

Efe

18 de novembro de 2010 | 05h22

WASHINGTON - O Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) estuda nesta quinta-feira, em sessão especial, se convocará uma reunião de consulta de chanceleres para que intervenham no conflito limítrofe entre Costa Rica e Nicarágua.

A sessão, convocada a pedido da Costa Rica, tem previsão de começar às 13h de Brasília. O chanceler da Costa Rica, René Castro, disse na terça-feira que solicitará a convocação da reunião de consulta de chanceleres do continente, o principal órgão de decisão da OEA, para 29 ou 30 de novembro.

O Conselho Permanente aprovou na sexta-feira uma resolução na qual pede que os dois países realizem em 27 de novembro uma comissão binacional com a supervisão da OEA e que evitem a presença de Forças Armadas e de segurança na área em disputa.

A Nicarágua, porém, considera que o texto não tem validade e manifestou que não acatará a decisão. O país também afirmou que não lhe interessa participar da reunião de chanceleres e que estudará a possibilidade de retirar-se do organismo continental.

Diante da recusa da Nicarágua em retirar suas tropas da área em disputa, a Costa Rica recorreu novamente ao Conselho Permanente para que estude a possibilidade de reunir os chanceleres para intermediar o conflito.

A disputa teve início no dia 21 de outubro, com a dragagem do rio San Juan e a presença de militares nicaraguenses em uma região da Ilha Calero com soberania da Costa Rica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.