OEA quer unidade de controle na fronteira Equador-Colômbia

A OEA espera apresentar nos próximostrês meses a Equador e Colômbia um projeto para formar umaunidade de controle da fronteira binacional, disse naquinta-feira o secretário-geral da entidade, José MiguelInsulza. A medida se tornou "urgente" depois que forças colombianasbombardearam um acampamento das Forças Armadas Revolucionáriasda Colômbia (Farc) em território equatoriano em 1o de março,provocando uma grave crise diplomática na qual a Venezuelaentrou, em apoio a Quito. O governo equatoriano rompeu relações com a Colômbia depoisdo incidente, enquanto os colombianos pediram desculpas poratacar o território vizinho sem aviso prévio. "Acredito que o mais urgente é formar uma unidade em que ospaíses possam apresentar suas reclamações e conversar sobremelhores mecanismos de cooperação", afirmou Insulza. O controle da fronteira de quase 600 quilômetros seriafeito por meio da Comissão Binacional Fronteiriça entre Equadore Colômbia (Combifron), uma instância que já existe mas que nãoestá em vigência, segundo o secretário-geral da Organização dosEstados Americanos. A idéia é colocá-la para "andar" e então corresponderia àOEA "monitorar seu cumprimento", o que se poderia fazer comfuncionários da entidade ou externos, disse Insulza. Ele espera ainda que ambos os países retomem relaçõesformais, possivelmente antes da próxima Assembléia da OEA nacidade colombiana de Medellín, no início de junho. (Reportagem de Adriana Garcia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.