Onda de frio deixa 11 mortos na Argentina e 18 na Bolívia

Voos domésticos foram afetados no noroeste argentino e filas se formam nos aeroportos

Efe

19 de julho de 2010 | 11h55

BUENOS AIRES - O número de mortos pela onda de frio que castiga Argentina chegou a 11 com o falecimento de duas pessoas nesta segunda-feira, 19, no noroeste do país, onde as más condições meteorológicas afetaram os voos domésticos.

 

Fontes de saúde informaram que um idoso e um bebê morreram no domingo por hipotermia em La Rioja, capital da província homônima, elevando para 11 as vítimas fatais pela onda de frio polar que castiga o país desde na semana passada.

 

As nevadas e as fortes chuvas provocaram, pelo segundo dia consecutivo, atrasos e cancelamentos de voos no aeroporto de Buenos Aires, onde centenas de passageiros permanecem à espera de embarque.

 

As fortes nevadas afetam voos de todas as companhias em direção a Bariloche, Esquel e Ushuaia, entre outros centros turísticos de inverno da Patagônia argentina que atraem estrangeiros, principalmente brasileiros.

 

Bolívia

 

Ao menos 18 mortos foram registrados na Bolívia desde junho em consequência da onda de frio que castiga o país e ao Cone Sul americano, segundo diversas fontes citadas nesta segunda pela imprensa local. No domingo, ocorreram as três últimas mortes, duas no departamento oriental de Santa Cruz de la Sierra e uma na sulista de Tarija.

 

Na capital de Santa Cruz, foram encontrados os corpos de dois indigentes que aparentemente morreram por hipotermia depois que a cidade amanhecesse com temperatura de 4 graus, pouco usual nessa região boliviana.

 

No caso de Tarija, um motorista morreu em um acidente por causa da neve e da neblina. Com estas três mortes, as autoridades bolivianas contabilizam já

18 mortes, a maioria no departamento de Santa Cruz.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaBolíviafrioAmérica do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.