ONU mantém brasileiro no comando de missão no Haiti

General Floriano Peixoto Vieira Neto foi indicado para substituir Carlos Alberto dos Santos Cruz na Minustah

Efe,

27 de março de 2009 | 17h02

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou nesta sexta-feira, 27, o general brasileiro Floriano Peixoto Vieira Neto como substituto de Carlos Alberto dos Santos Cruz no comando da Missão de Estabilização das Nações Unidas para o Haiti (Minustah). A porta-voz da ONU, Michèle Montas, disse que o secretário-geral comunicou ao Conselho de Segurança (CS) a nomeação do novo comandante-em-chefe dos 7.039 "capacetes azuis" que o organismo mantém no país caribenho.

 

Veja também:

linkComandante da missão brasileira no Haiti denuncia corrupção

 

"O general Floriano Peixoto tem uma grande experiência no comando de tropas, adquirida ao longo de sua carreira militar, que iniciou em 1973, e que inclui a participação no desdobramento da Minustah em 2004", acrescentou Montas.

 

O militar, de 55 anos, atualmente lidera em Brasília um dos diretórios do Estado-Maior do Exército, cargo ao qual foi destinado em 2008, após ser nomeado general e dirigir uma brigada de assalto aerotransportada, segundo um perfil divulgado pela ONU.

 

Anteriormente, foi instrutor na Academia Militar e da escola de paraquedismo, além de estar no comando de um batalhão de infantaria. Peixoto Vieira fez parte do primeiro contingente militar que o Brasil enviou ao Haiti em 2004, depois de o CS aprovar o envio de capacetes azuis ao país por causa da violenta saída do poder do presidente Jean Bertrand Aristide.

 

O Brasil foi, desde o princípio, o país responsável por liderar a presença militar internacional no Haiti, por isso o comandante-em-chefe da Minustah foi quase sempre um militar brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
HaitiONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.