ONU pede US$ 37 milhões para ações humanitárias no Peru

Projeto será explicado para comunidade internacional; reconstrução custará cerca de US$ 500 milhões

Jamil Chade, enviado especial,

27 de agosto de 2007 | 16h29

A ONU fará um apelo nesta segunda-feira, 27, para que a comunidade internacional destine US$ 37 milhões para as ações humanitárias da entidade no Peru, que ainda sofre as conseqüências do terremoto que afetou a região de Pisco. Fontes do governo peruano ainda revelaram ao Estado que o país precisará de US$ 500 milhões para reconstruir as cidades mais atingidas.   Nesta segunda, em Genebra, a ONU ainda promove uma reunião entre potenciais doadores para explicar o projeto de ajuda na área social, de educação, na reconstrução de hospitais e até o restabelecimento de energia elétrica.   "A esperança é de que a reunião diplomática ajude a criar uma consciência entre os países para que destinem recursos ao Peru", afirmou um diplomata de Lima ao Estado. Nos primeiros dias após o terremoto, diversas agências da ONU reuniram cerca de US$ 1 milhão para os trabalhos no Peru. Algumas toneladas de alimentos também foram enviados ao país pelo Programa da ONU para a Alimentação.   Tanto as autoridades peruanas como a ONU admitem que o mais dificil não será reunir recursos para a ajuda humanitária, mas sim reconstruir a infra-estrutura destruída pelo terremoto e que custará ao país cerca de meio bilhão de dólares.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUPeruTerremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.