Oposição a Chávez mostra força em manifestação anti-reformas

Mais de 100 mil venezuelanos realizaramuma manifestação na terça-feira, na maior demonstração de forçada oposição antes da votação de um referendo sobre uma reformaconstitucional, que pode dar ao presidente Hugo Chávez odireito de disputar a reeleição quantas vezes quiser. Um mar de simpatizantes do "não" surgiu por toda capitalCaracas em direção à praça central da cidade, prometendoimpedir Chávez de conquistar mais poderes no referendo dedomingo. Um movimento estudantil, que surgiu em maio depois deChávez decidir não renovar a concessão de uma emissora de TVoposicionista, promoveu a manifestação contrária às reformas,consideradas autoritárias por partidos da oposição, por gruposde defesa dos direitos humanos e pela Igreja Católica. "Estamos conquistando a democracia de volta", gritou olíder estudantil Freddy Guevara, enquanto usava uma camisavermelha com a inscrição "Não", em um palanque na manifestação."Não há dúvidas de que todos votarão, iremos vencer." A multidão balançava bandeiras venezuelanas e gritava "não,não, não" às reformas constitucionais. Geralmente Chávez conquista vitórias eleitorais fáceiscontra a dividida oposição do país, mas dessa vez pesquisasmostram que o presidente venezuelano enfrentará a disputa maisacirrada de sua carreira. A maioria dos levantamentos mostra umempate técnico entre o "sim" e o "não". (Por Saul Hudson e Patricia Rondon)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.