Oposição promete eliminar venda facilitada de petróleo venezuelano

O candidato único da oposição venezuelana, Henrique Capriles, disse nesta quarta-feira que se vencer as eleições presidenciais suprimirá os mecanismos de financiamento pelos quais a Venezuela fornece petróleo a dezenas de países, programa pelo qual o presidente Hugo Chávez ajuda aliados políticos.

Reuters

01 de agosto de 2012 | 18h30

A Venezuela deixa de receber anualmente dezenas de milhões de dólares com a venda do petróleo financiado ou o intercâmbio com países da América do Sul, América Central e Caribe, o que tem forte impacto nas finanças da estatal PDVSA.

A petrolífera venezuelana também paga com petróleo multimilionários créditos obtidos da China e fornece petróleo a aliados políticos de Chávez, como o Irã, Belarus e Síria.

"Para ter um amigo não precisa comprá-lo... A partir de 10 de janeiro de 2013 não sairá um só barril de petróleo presenteado a outros países. Enquanto houver uma cidade que precise dele, não sairá um só barril financiado", disse Capriles, durante a apresentação de seu plano petrolífero na cidade de Porto Cruz, leste do país, perto de refinarias.

Chávez está à frente nas pesquisas com ampla vantagem. Cartazes da campanha chavista adornavam muitas das ruas do município onde Capriles discursou.

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACAPRILESSUBSIDIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.