Opositor é impedido de presenciar apuração na Venezuela

Reforma constitucional de Hugo Chávez é rejeitada pela população venezuelana

Efe,

03 de dezembro de 2007 | 04h41

O representante da oposição no Conselho Nacional Eleitoral (CNE) Enrique Márquez afirmou nesta segunda-feira, 3, que foi impedido de presenciar a apuração de votos do referendo. O Conselho Nacional Eleitoral anunciou a vitória do 'não' por 50,7% contra 49,29%. Veja também:Povo venezuelano rejeita reforma constitucional de ChávezCNE deve anunciar resultado do referendo, exige oposiçãoChávez e aliados devem reconhecer resultado, pede oposiçãoResultado de referendo será entregue primeiro aos blocosChávez aprovou reforma na Constituição, diz fonte do governoChávez diz que aceita qualquer resultadoVenezuela vota em clima tranqüiloVenezuela dá 'lição de democracia', diz CNETensão na América do Sul  Conheça pontos centrais da reforma  Acompanhe a trajetória de Hugo Chávez     O representante da oposição disse que existia um acordo para que pudesse se dirigir, junto com a direção do CNE, à sala na qual esse organismo efetua o cômputo de votos do referendo sobre a reforma constitucional. Márquez indicou que o CNE alegou motivos de segurança para impedir sua passagem, mas reconheceu que outro representante da oposição está presente na sala. "O que o CNE esconde?", perguntou Márquez ao denunciar à imprensa sua exclusão da reunião.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelareferendoHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.