Opositor Humala apóia greve contra García no Peru

O líder opositor peruano e nacionalistaOllanta Humala expressou na segunda-feira seu apoio a umaparalisação contra a política econômica "neoliberal" do governode Alan García, enquanto se prepara para ser candidato para aseleições de 2011. Humala, que perdeu por uma pequena diferença as eleições de2006 para García e mantém boas relações com o presidente daVenezuela, Hugo Chávez, afirmou que o governo não temconseguido transferir os benefícios do bom momento econômico dopaís à população mais pobre. "O Partido Nacionalista vai apoiar e participar também dagreve", disse Humala em uma conferência de imprensa. Desde que assumiu o poder, García tem priorizado oestabelecimento de acordos de livre-comércio e fomentado oinvestimento estrangeiro no país, um dos principais produtoresmundiais de metais. Nos últimos seis anos o Peru tem passado por um fortecrescimento econômico, tendo conseguido em abril o esperadograu de investimento da agência Fitch Ratings. Entretanto, ogoverno enfrenta protestos sociais com pedidos de maisrecursos, enquanto a pobreza afeta cerca de 40 por cento dapopulação. Na semana passada, o país passou por uma greve nacional demineiros que não afetou significativamente a produção, masrepercutiu nos preços internacionais dos metais. Anteriormente, moradores da região de Moquegua realizaramum protesto de mais de uma semana reivindicando mais recursosda mineração. O protesto incluiu o bloqueio de importantesestradas e 60 policiais foram feitos reféns pelosmanifestantes. "Há uma corrente de opinião que afirma que o Peru estámuito bem, como poucas vezes em sua história. No entanto, háoutra corrente de opinião que é a que diz que este crescimentonão chega aos meus bolsos", disse Humala. "Não basta o crescimento se ele não vem acompanhado de umdesenvolvimento sustentável", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.