Oviedo se nega a tirar foto de Morales de propaganda eleitoral

Apesar do pedido da Bolívia, candidato à Presidência paraguaia diz que nada tirará sua 'liberdade de expressão'

Associated Press,

02 de abril de 2008 | 21h16

O general aposentado e candidato à Presidência paraguaia Lino Oviedo anunciou nesta quarta-feira, 2, que continuará usando a propaganda eleitoral de sua campanha em que aparece o presidente boliviano Evo Morales, apesar de não ter obtido a autorização do líder da Bolívia. Em declarações publicadas pelo jornal Abc Color, Oviedo assegurou que não irá retirar a propaganda, que também retrata o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, o chefe de Estado venezuelano Hugo Chávez e a líder argentina, Cristina Kirchner.   Veja também: Bolívia condena propaganda eleitoral de Oviedo no Paraguai Em visita ao Brasil, Lugo pressiona por renegociação de Itaipu   Na terça-feira, 1, o governo boliviano pediu através de seu embaixador Marco Antonio Vidaurre a retirada da foto de Morales, pela propaganda ser "desrespeitosa e desacertada". Oviedo, candidato da União Nacional dos Cidadãos Éticos (Unace), negou o pedido e respondeu que "se alguma autoridade exigir, apelarei até o Corte Suprema de Justiça se for preciso."   Na propaganda, fotos de Morales e Chávez foram incluídas sob o título 'conflito', enquanto Lula e Cristina aparecem com o título 'negociação.'   O candidato acrescentou que "Morales, Chávez e Fernando Lugo (candidato favorito à Presidência do país) têm a mesma ideologia". "Os presidentes violaram contratos internacionais e Lugo ameaça fazer algo similar", explicou. "Esta é minha forma de pensar e nada tirará minha liberdade de expressão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.