Panamá terá força especial na fronteira com a Colômbia

O Panamá criará uma forçaarmada para combater o fluxo de cocaína e armas, assim comocapturar guerrilheiros de esquerda ao longo da fronteira com aColômbia, informou o governo nesta sexta-feira. O Panamá é um importante ponto para o trânsito de cocaínada América do Sul até Estados Unidos e Europa, e um aumento daviolência relacionada com o narcotráfico levou à introdução de200 agentes na região, disse o ministro da Justiça, DanielDelgado. Eles começarão a operar em Darien, ao longo dafronteira com a Colômbia. O Panamá também considera uma integração naval e operaçõesde força aérea e tem pedido aos Estados Unidos que lhe garantamcobertura de radar. Até 80 por cento dos envios da cocaína colombiana aosEstados Unidos e Europa passam pelo Panamá e ao longo de seulitoral, segundo autoridades antidrogas. "Há centenas de lanchas rápidas passando pelo Panamá"levando cocaína ou dinheiro, disse Delgado aos repórteres. "Este ano estimamos que 1.400 toneladas de cocaína vãopassar pelo Panamá; no ano passado capturamos 70 toneladas",completou. O Panamá é um dos países mais seguros da América Latina,mas os sequestros estão aumentando. No ano passado foram 23,contra apenas três registrados em 2006. Em fevereiro, o Panamá capturou seis rebeldes das ForçasArmadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no mar, perto deDarien.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.