Para Chávez, Fidel mostra que revolução não depende dele

Presidente venezuelano é irônico ao ser perguntado sobre saída de líder cubano: 'Que renúncia?'

Associated Press,

19 de fevereiro de 2008 | 21h42

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta terça-feira, 19, que Fidel Castro e Cuba "demonstraram ao mundo e, sobretudo ao império (os Estados Unidos), que a revolução cubana não depende de uma pessoa".   Após 49 anos no poder, Fidel renuncia Evo elogia decisão 'democrática' de Fidel Cuba não precisa de 'ingerência', diz Lula Embargo dos EUA a Cuba continua sem Fidel Raúl Castro torna-se guardião da revolução A trajetória de Fidel Castro  Principais capas do Estadão sobre Fidel  Guterman: como a história julgará Fidel?   Fidel Castro: herói ou vilão?  Você acha que o regime em Cuba mudará? Leia cobertura completa da renúncia de Fidel    Ao ser perguntado sobre a renúncia de Fidel, anunciada nesta terça-feira, Chávez, que é amigo e principal aliado do líder convalescente, respondeu com ironia: "Que renúncia?"   "Fidel não renunciou a nada. Não. Diante da possibilidade de ser reeleito como presidente do Conselho de Estado, faltando quatro dias para a eleição, ele apenas tomou a decisão de abrir o caminho para outros companheiros, uma vez que, como ele disse, está impossibilitado de percorrer as vilas, os campos e a fábricas, como sempre fez. Se fosse eu, ou qualquer outro, faria o mesmo", disse o presidente venezuelano.   O Parlamento cubano se reunirá no próximo domingo para renovar o Conselho de Estado. Fidel está longe da cúpula do comando da ilha desde julho de 2006, quando deixou a Presidência para submeter a uma complicada cirurgia intestinal, delegando o poder a seu irmão e ministro da Defesa, Raúl Castro.   "Infelizmente, ele não recuperou totalmente a saúde, todos sabemos disso. Num gesto que o enaltece, de desprendimento pessoal, anunciou sua renúncia", disse o chefe de Estado da Venezuela.   Para Chávez, "isso é uma lição para aqueles que acusam homens como Fidel de se apegarem ao poder desesperadamente".   "Cada um cumpre uma tarefa" e a nova de Fidel será "ocupar o posto que tem de ocupar na batalha da Revolução Cubana e da revolução na América Latina", avaliou o líder venezuelano.   O presidente da Venezuela mandou um abraço ao líder cubano, acrescentando que "ele não renuncia, nem abandona nada, porque Fidel estará sempre na vanguarda. Homens como Fidel nunca renunciam".   Em mensagem aos cubanos, Chávez afirmou que "o povo cubano é grande e heróico" e "soube assimilar a ausência de Fidel à frente da batalha".  

Tudo o que sabemos sobre:
Fidel CastroChávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.