Para Chávez, Obama é 'grande enigma' de duas faces distintas

Líder venezuelano não confirma presença na Assembleia da ONU, onde chamou Bush de diabo três anos atrás

Agência Estado,

21 de setembro de 2009 | 11h19

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou no domingo, 20, que estava dividido sobre seu colega americano, Barack Obama. Segundo Chávez, Obama é um "grande enigma", com duas faces bastante diferentes.

 

"Aquele é um grande enigma: Obama, sorrindo, que fala sobre direitos das mulheres... sobre segurança social, que diz querer um mundo sem bombas atômicas", disse Chávez, durante seu programa "Alô, Presidente". Por outro lado, o líder venezuelano afirmou que "Obama é o presidente de um país imperialista", que ele vinculou "ao golpe em Honduras e às sete bases na Colômbia".

 

A referência à Colômbia é sobre um acordo entre Bogotá e Washington, para que tropas americanas participem em operações em bases colombianas. Os dois governos afirmam que a única meta é combater a guerrilha, porém governos vizinhos, sobretudo Venezuela e Equador, temem alguma operação fora do território colombiano.

 

Em abril, durante um encontro de líderes das Américas, Chávez presenteou Obama com um exemplar de "As veias abertas da América Latina", do uruguaio Eduardo Galeano. O livro trata do passado colonial e da exploração da região pelas potências mundiais, entre elas os EUA.

 

O líder venezuelano disse que não sabe se irá a Nova York, para a Assembleia Geral da ONU. Três anos atrás, Chávez ganhou as manchetes em seu discurso, ao chamar o então presidente dos EUA George W. Bush de "o diabo".

 

Chávez diz que está avaliando com sua equipe se pretende ir ao encontro. Em 2006, ele chamou a atenção ao falar um dia depois de Bush à assembleia. "Ontem, o diabo esteve aqui e esse lugar ainda cheira a enxofre", afirmou Chávez na ocasião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.