Para Correa, referendo prova que há democracia na Venezuela

Presidente afirma que Quito e Bogotá mantêm diálogo e pede que vizinho aumente vigilância na fronteira

Efe,

17 de dezembro de 2007 | 02h19

O presidente do Equador, Rafael Correa, considerou neste domingo que o revés eleitoral sofrido no princípio do mês por seu colega Hugo Chávez demonstra que há democracia na Venezuela. Após lembrar que Chávez perdeu nas urnas por 51% a 49%, Correa insistiu que isso prova que a Venezuela "vive uma democracia plena". O presidente do Equador assinalou em diversas oportunidades que admira Chávez, a quem considera um amigo. Ao referir-se às relações com a Colômbia, Correa afirmou que Quito e Bogotá mantêm um diálogo fluído, mas disse que seu vizinho do norte deve aumentar a vigilância na área fronteiriça. Correa, um economista de esquerda, assinalou que as diferenças ideológicas entre governos são irrelevantes e o importante é manter o diálogo em função do bem dos povos.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaRafael CorreaEquador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.