Para Fidel, seqüestro de Betancourt foi 'cruel e injustificado'

Líder cubano parabeniza operação de resgate e se diz preocupado com uso político da ação pelos EUA

Reuters,

04 de julho de 2008 | 03h06

Fidel Castro aplaudiu o resgate da ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt. Ele descreveu o seqüestro de seis anos de Betancourt pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) como "cruel e injustificado". Veja também:Libertação foi milagre, precisamos lutar pelos reféns, diz IngridIngrid pede liga de países para libertar reféns Lula cobra sensibilidade das Farc para soltar refénsO drama de IngridPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região   Cronologia do seqüestro de Ingrid BetancourtLeia tudo o que foi publicado sobre o caso Ingrid BetancourtO seqüestro de Ingrid Betancourt  Castro, afastado do poder há quase dois anos por problemas de saúde, disse em um texto publicado na noite desta quinta-feira pelo site oficial Cubadebate que Cuba apóia o processo de paz na Colômbia há mais de 20 anos. "Pelo sentimento de humanidade, nos alegrou a notícia sobre a libertação de Ingrid Betancourt, três cidadãos americanos e outros reféns", escreveu o líder cubano. "Os civis nunca deveriam ser seqüestrados, nem mantidos como prisioneiros os militares em plena selva. São feitos cruéis. Nenhum propósito revolucionário pode justificar isso", acrescentou. Castro, que chegou ao poder em 1959 a frente de um movimento guerrilheiro, inspirou as Farc e outros rebeldes de esquerda que tomaram desde então as armas na Colômbia. Apesar de suas diferenças ideológicas com Uribe, nos últimos anos ele o ajudou a realizar negociações com o Exército Nacional de Libertação, outra guerrilha de esquerda colombiana. No seu texto, Fidel advertiu que os Estados Unidos poderiam tentar manipular agora o resgate dos reféns. "Observamos com preocupação como o imperialismo trata de explorar o ocorrido na Colômbia para ocultar e justificar seus crimes de genocídios com outros povos, desviar a atenção internacional de seus planos intervencionistas na Venezuela e na Bolívia", colocou. Betancourt e outros 14 reféns das Farc foram resgatados na quarta-feira em uma operação militar ordenada pelo presidente Álvaro Uribe, o mais firme aliado dos Estados Unidos na América Latina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.