Paraguai não pode continuar dependendo do Brasil, diz Lugo

Novo presidente afirma que seu país é muito influenciado política e economicamente por Brasil e Argentina

Efe,

07 de agosto de 2008 | 14h32

O presidente eleito do Paraguai, o ex-bispo Fernando Lugo, disse nesta quinta-feira, 7, que seu país não pode seguir dependendo das políticas da Argentina e do Brasil e afirmou que a Venezuela pode mudar o equilíbrio hegemônico regional. "Acho que a política externa do Paraguai vai muito além de nossa fronteira, de nossa região e de nosso continente. A geopolítica mundial mudou substancialmente", declarou Lugo. Veja também:Lugo denuncia boicote contra o novo governo do Paraguai Segundo ele, o Paraguai, que é muito influenciado política e economicamente por seus dois poderosos vizinhos, "tem que alcançar um novo desenho na política externa". "Não podemos nos contentar com as políticas pendulares entre Brasil e Argentina", declarou. "Eu não tenho medo dos países chamados de 'Eixo do mal', pois não se deve identificar as autoridades com os países", disse. A Venezuela "é um país que estrategicamente pode dar equilíbrio dentro da região independentemente de quem for o presidente. (Hugo) Chávez vai passar, mas a Venezuela não vai passar com seu potencial em termos de energia", disse Lugo, que assumirá o poder no próximo dia 15. "Defendo a integração regional, em primeiro lugar, mas não ficar nisto, mas abrir as portas para uma relação mundial tanto e enquanto houver respeito a nossa comunidade", declarou o ex-bispo católico.

Tudo o que sabemos sobre:
Fernando LugoParaguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.