Paraguai retira do Congresso adesão da Venezuela ao Mercosul

O governo paraguaio retirou nesta quinta-feira do Congresso, pela segunda vez, o protocolo de adesão da Venezuela como membro pleno do Mercosul, diante da possibilidade de ser rejeitado pelos congressistas.

REUTERS

09 de dezembro de 2010 | 12h23

A decisão é um novo revés no processo de incorporação da Venezuela ao bloco regional do Cone Sul.

O Paraguai é o único dos integrantes do Mercosul que ainda não aprovou o protocolo, já aceito por Argentina, Brasil e Uruguai, os outros parceiros plenos do Mercosul.

Os parlamentares de direita formam a maior bancada no Congresso paraguaio e questionam com frequência as políticas do presidente venezuelano, Hugo Chávez. Em agosto de 2009, o governo paraguaio já retirara o protocolo do Congresso, diante da iminência de rejeição.

O presidente paraguaio, Fernando Lugo, encaminhou novamente o protocolo ao Congresso no final de novembro, em meio a negociações com seus aliados liberais e com o partido direitista União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace), mas o diálogo fracassou.

Lugo esperava dar um primeiro passo para a aprovação do protocolo antes da próxima cúpula semestral do Mercosul, que será realizada nos dias 16 e 17 de dezembro em Foz do Iguaçu (PR), na qual o Paraguai assumirá a presidência temporária do bloco.

Um porta-voz do Senado confirmou à Reuters que o pedido de retirada, feito pelo governo, foi recebido.

(Reportagem de Daniela Desantis)

Tudo o que sabemos sobre:
PARAGUAIMERCOSULVENEZUELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.