Paraguaio exige devolução de arquivos da guerra com o Brasil

Ativista vencedor do Prêmio Nobel Alternativo pede que Lugo reivindique documentos da Guerra do Paraguai

Efe,

13 de junho de 2008 | 18h30

O ativista paraguaio Martín Almada pediu nesta sexta-feira, 13, ao presidente eleito do país, Fernando Lugo, que reivindique junto às autoridades brasileiras a devolução dos arquivos da Guerra do Paraguai (1864-1870).  Em nota para Lugo, que assumirá a Presidência no próximo dia 15 de agosto, Almada solicita a restituição desses documentos que tinham caído em poder das tropas brasileiras que invadiram Assunção. O conflito, também conhecido como Guerra da Tríplice Aliança, foi travado por Argentina, Brasil e Uruguai contra o Paraguai. Almada, ex-preso político e vencedor do Prêmio Nobel Alternativo em 2002, pediu também ao futuro governante paraguaio que reivindique junto a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) a declaração desses arquivos como Memória do Mundo. Segundo a chancelaria paraguaia, em 2005, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro respondeu aos pedidos paraguaios de restituição desses documentos. "Toda a documentação do Arquivo Histórico do Ministério está aberta a consultas, sem restrição, observados os trâmites administrativos correspondentes", diz o texto enviado pela Chancelaria brasileira na época. A carta diz ainda que "não há decisão ou iniciativa específica tomada pelo governo brasileiro sobre a classificação ou reclassificação de documentos relativos à mencionada documentação" Na época, a resposta brasileira gerou reclamação entre historiadores e estudiosos paraguaios dessa guerra.

Tudo o que sabemos sobre:
ParaguaiBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.