Roberto Escobar/Efe
Roberto Escobar/Efe

Parlamento de Honduras inicia debate sobre Anistia

Deputados alegaram que projeto pode ser aprovado hoje ou amanhã, quando Zelaya deixará o país

Efe,

26 de janeiro de 2010 | 21h08

O Parlamento de Honduras começou nesta terça-feira, 26, a debater um projeto de decreto de anistia a pessoas que cometeram delitos políticos antes e depois do golpe de Estado contra Manoel Zelaya, em 28 de junho.

 

Veja também:

especialEspecial: Para entender o impasse em Honduras

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras 

linkAnistia denuncia abusos de governo de Micheletti em Honduras

linkJustiça de Honduras inocenta militares que depuseram Zelaya

linkÀs vésperas do exílio, Zelaya diz que pretende voltar um dia

 

Em sua exposição de motivos, Pérez ressaltou que Zelaya pretendia reformar a Constituição, incluindo alguns artigos "pétreos" - como se denominam em Honduras artigos considerados imóveis. O deputado também afirmou que o presidente também estava adotando outras para se perpetuar no poder.

 

O projeto de anistia foi enviado a uma comissão parlamentar, mas isso não quer dizer que ela seja aprovada ainda nesta terça, disse o presidente do Parlamento, Juan Orlando Hernández, ainda que vários deputados tenham garantido extraoficialmente que ela será aprovada hoje.

 

Outros deputados não descartaram a aprovação do projeto na quarta-feira, 27, antes que Lobo assuma a presidência do país. O presidente eleito assegurou a jornalistas que "a anistia é um feito".

 

Zelaya foi deposto e enviado à Costa Rica por militares no último 28 de junho, por promover uma consulta popular para reformar a Constituição, apesar de haver uma proibição legal de vários organismos do Estado para alterar o documento.

 

O presidente deposto sairá nesta quarta do país com destino a República Dominicana, acompanhado pelo presidente dominicano, Rafael Fernandéz, com um salvo-conduto concedido por Lobo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.