Parlamento escolhe sucessor de Fidel e Raúl é o favorito

A Assembléia Nacional cubana se reúne nodomingo para eleger o sucessor do presidente Fidel Castro, epouca gente aposta em outro nome que não o de Raúl Castro. O irmão mais novo de Fidel já governa interinamente desdeque o veterano revolucionário adoeceu, em julho de 2006, e ocenário está preparado para sua efetivação no cargo. Raúl, 76 anos, é o ministro de Defesa há mais tempo nocargo em todo o mundo e sua escolha é óbvia para um governo quese sente ameaçado pela administração Bush num momentovulnerável de perda da liderança carismática de Fidel. "Mais do que nada, Raúl significa estabilidade econtinuidade num momento de grande ansiedade e incerteza",disse Frank Mora, especialista em Cuba da Escola Nacional deGuerra, em Washington. Fidel, de 81 anos, anunciou sua aposentadoria em mensagemdivulgada na terça-feira, alegando que não tinha mais saúdepara buscar um novo mandato. Mas ele continuará sendo oprimeiro-secretário do Partido Comunista. Os cubanos elegeram no mês passado os 614 deputados --entre eles Fidel -, aos quais cabe aprovar na sessão de domingode manhã uma lista de 31 membros do Conselho de Estado,principal órgão executivo do país, dirigido por um presidente,um primeiro-vice-presidente e cinco outros vices de segundoescalão. Teoricamente, a presidência poderia ir para uma liderançamais jovem, como o vice-presidente Carlos Lage, mentor dasreformas econômicas na década de 1990, quando o fim da UniãoSoviética mergulhou a ilha numa grave crise. Mas a maioria dos observadores duvida de uma transição tãoousada e prevêem que Lage, de 56 anos, será reconduzido àvice-presidência, com papel de gerir o dia-a-dia do governo. "Acho que há uma boa chance de que Carlos Lage se torneprimeiro-ministro real ou 'de fato', e uma chance marginal deque se torne presidente, com Raúl mexendo todos os pauzinhosnos bastidores", disse Brian Latell, ex-analista da CIA e autorde um livro chamado "Depois de Fidel." Uma reforma ministerial será decidida posteriormente peloConselho de Estado, cujos membros têm mandato qüinqüenal. Acomposição do novo conselho e a participação de reformistasserão fatores que podem predeterminar os rumos do país nospróximos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.