Patriota informa a colega paraguaio sobre aprovação de acordo de Itaipu

Paraguai disse que dinheiro extra irá para um fundo destinado a financiar obras de infraestrutura, melhoramento de instituições educativas e de saúde

Efe,

15 de maio de 2011 | 06h32

ASSUNÇÃO - O Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, informou neste sábado, 14, a seu colega paraguaio, Jorge Lara Castro, sobre a aprovação no Senado brasileiro do acordo que permite aumentar os lucros que o Paraguai recebe na administração conjunta da hidrelétrica de Itaipu.

 

"Tenho a satisfação de entregar a meu colega Castro a nota que transmite ao Paraguai a notícia do cumprimento de todos os trâmites internos para que entrem em vigor as notas reversas de 2009", disse Patriota a jornalistas.

 

O chanceler brasileiro realizou esse trâmite durante uma reunião na Chancelaria em Assunção, depois de sua participação nas comemorações do Bicentenário da Independência do Paraguai.

 

A votação no Senado era o último passo que faltava para a entrada em vigência desses acordos, pelos quais o Brasil deverá pagar US$ 360 milhões anuais pelo excedente de energia paraguaia que recebe de Itaipu, que até o momento lhe custa US$ 120 milhões.

 

"Isto cria o ambiente mais propício possível para que aprofundemos nossa amizade, nossa cooperação em um momento em que o Paraguai cresce a taxas tão elevadas", disse Patriota.

 

Ele expressou, além disso, seu desejo de aumentar "a cooperação econômica, política e em infraestrutura entre Brasil e Paraguai".

 

"O setor privado brasileiro está cada vez mais interessado por investir no Paraguai, o que dependerá da Chancelaria e de mim. Castro sabe que tem um amigo e um colega muito próximo", destacou.

 

Patriota integrou a comitiva oficial que substituiu a presidente Dilma Rousseff nos festejos deste país e que incluiu o presidente do Senado do Brasil, o ex-presidente José Sarney.

 

Dilma suspendeu na sexta-feira sua viagem a Assunção, onde tinha previsto se reunir com seu colega paraguaio, Fernando Lugo, devido a recomendações médicas, já que se recupera de uma pneumonia.

 

Quanto a uma nova data para que se concretize esse encontro, Patriota assinalou que aguardarão que o governante "se recupere plenamente para voltar a falar disso".

 

Os lucros para o Paraguai em Itaipu, que foram estipulados em julho de 2009 nos convênios assinados em Assunção com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e por Lugo, fizeram parte da bandeira eleitoral do governo deste país nas eleições gerais de 20 de abril de 2008.

 

O governo paraguaio disse que o dinheiro irá para um fundo destinado a financiar obras de infraestrutura, melhoramento de instituições educativas e de saúde, assim como programas para potencializar pesquisas acadêmicas e científicas.

Tudo o que sabemos sobre:
ParaguaiItaipuacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.