'Pequena sereia' do Peru caminha no primeiro dia de aula

Em seu primeiro dia na escola, a meninaconhecida no Peru como "Pequena Sereia" entrou caminhando nestaquinta-feira no jardim da infância, mais de dois anos depois deter atraído a atenção do país ao ser submetida a uma cirurgiaarriscada para a separação das pernas. Milagros Cerron, de 4 anos -- cujo nome significa "milagre"em espanhol -- nasceu com um problema raro chamado de Síndromeda Sereia, ou sirenomelia, que costuma ser letal. Além dela haveria apenas outros dois sobreviventes dessemal em todo o mundo. "Nunca pensamos que ela iria para a escola", disse o dr.Luis Rubio, um dos médicos que cuidam da menina desde onascimento. "Normalmente, bebês como ela morrem 72 horas depoisde nascer." A sorridente e angelical garota, de grandes olhos e cabeloscastanhos, estava encantada por ir à escola e quase dançou comseus colegas. "Ela é uma criança muito alegre, que gosta de brincar comos amigos", disse o pai, Ricardo Cerron. Antes da operação, de quatro horas de duração, as pernas deMilagros estavam unidas em um emaranhado de tecidos e seus pésse juntavam num formato de "V", que lembravam a cauda de umasereia. Rubio disse que os médicos estão monitorando ofuncionamento dos rins de Milagros. Eles pretendem realizarnovas cirurgias porque a menina não tem o controle da bexiga. Seu pai teme que ela vá precisar de um transplante de rim.No ano passado, Milagros começou a ir à escola, mas poucos diasdepois ficou doente e teve de continuar em casa. "Ela sofre de uma porção de infecções", disse o pai."Espero que possamos receber ajuda de outros países." (Reportagem de Carlos Valdez e Terry Wade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.