Perfurações para resgatar mineiros chilenos ultrapassam 300 metros

Prazo para resgate de trabalhadores continua estimado em quatro meses

estadão.com.br,

15 de setembro de 2010 | 15h09

Mulher de um dos mineiros presos escreve carta para o marido

COPIAPO - As duas perfuradoras que trabalham no resgate de 33 trabalhadores presos em uma mina de ouro e cobre no deserto do Atacama, no Chile, desde o dia 5 de agosto, já cavaram 300 metros dos 700 necessários para resgatá-los. A primeira das máquinas deve perfurar 702 metros e a segunda, 630. A sonda do plano A deve alargar o duto em 30 centímetros, e depois em 70 cm, que permitiria o resgate dos mineiros.

Veja também:

especialInfográfico: animação mostra como será o resgate

especialLinha do tempo: os piores acidentes da década

A máquina Schramm T-130 havia interrompido seus trabalhos na quinta-feira passada, quando tinha alcançado os 268 metros de profundidade, devido à ruptura da máquina ao impactar com uma barra de ferro. Desde então, as equipes de resgate trabalharam para extrair os fragmentos da máquina do interior do duto, tarefa que finalizaram nesta terça-feira.

 

A peça foi trocada por outra, importada dos Estados Unidos. As autoridades mantêm o prazo previsto de entre três e quatro meses para o resgate. Os familiares, porém, temem que os problemas atrasem mais o processo.

 

A Raise Borer Strata 950, que desempenha o Plano A, também alcançou os 300 metros de profundidade - dos 688 que deve perfurar para chegar ao local onde os mineradores estão confinados -, indicou à imprensa o engenheiro René Aguilar, coordenador das tarefas de perfuração.

 

Já com a perfuradora do Plano C, uma máquina petrolífera, os socorristas concluíram até o momento 70% de sua instalação, acrescentou Aguilar, quem prevê que ela possa começar a operar no próximo dia 20.

Os 33 mineiros sobreviveram por 19 dias com uma dieta racionada de duas colheres de atum enlatado, um gole de leite e meio biscoito a cada 48 horas.

O único canal de comunicação com o exterior tem 15 centímetros de diâmetro. É por lá que as equipes de resgate começaram a enviar soro e rações de proteína e glicose, semelhantes às consumidas por astronautas. Dentro da mina, os mineiros contam com acesso à água e canais de ventilação.

 

Com Efe

Tudo o que sabemos sobre:
mineiros no ChileChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.