Peru acusa governador de tentativa de separatismo

O governo do Peru acusou um governadornesta terça-feira de buscar o separatismo e prometeu bloquearuma lei do Congresso que poderia estimular outros departamentosa tentar obter maior autonomia. O governador Hernan Fuentes quer mais autonomia e receitapara sua província de Puno, ao sul do país, dizendo que ogoverno em Lima tem ignorado as necessidades dos pobres hámuito tempo. "Isso é incitação a um motim", disse o primeiro-ministroJorge del Castillo a jornalistas. "Essa idéia de separatismonão será permitida na união democrática do Peru. Éabsolutamente inaceitável e nós teremos uma resposta política elegal apropriada." Puno tem 1,1 milhão de residentes, principalmente índiosquíchua e aimará. O local é rico em ouro, urânio e chumbo e temfortes laços culturais com a vizinha Bolívia, onde o presidenteEvo Morales assumiu em 2006. Fuentes afirmou que os líderes da província têm pouco podersobre programas de educação, infra-estrutura e saúde, apesar dea Constituição do Peru prometer uma autonomia considerável acada uma das suas províncias. "Queremos autonomia de verdade", disse Fuentes à Reuterspor telefone. "O plano é envolver outros governos deprovíncias, principalmente ao sul, e depois apresentar a lei aoCongresso."O governo do presidente Alan Garcia, que esteve à frente dopaís pela primeira vez na década de 1980 em um período de umamilitância de esquerda capaz de desestabilizar o país, assumiuo cargo há quase dois anos e não tem um controle claro doCongresso. A aprovação de Garcia despencou para 28 por cento empesquisas nacionais, o menor nível do seu mandato, e ele éespecialmente impopular no sul do país, onde partidos deesquerda têm sido historicamente fortes. (Reportagem de Marco Aquino)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.