Peru anuncia cruzada contra armamentismo na AL

Uma comitiva de ministros peruanos viajará para convencer os países vizinhos

Efe,

16 de outubro de 2009 | 05h17

O presidente do Conselho de Ministros do Peru, Javier Velásquez, anunciou nesta sexta-feira, 16, que o governo de seu país iniciará uma "cruzada internacional" contra o armamentismo na América Latina.

 

Velásquez afirmou à agência oficial Andina que uma comitiva integrada por ministros peruanos viajará pela região para promover um "pacto de não agressão" proposto pelo presidente Alan García. "Nós vamos iniciar uma cruzada com ministros do gabinete para conseguir que a proposta do presidente Alan García, de começar um processo de não agressão, que promova o desarmamento na América Latina num esforço para declarar guerra ao único inimigo que temos na América Latina: a fome e a miséria", assinalou. "Vamos visitar prioritariamente às autoridades na América Latina, para sensibilizar sobre a necessidade de contar com uma agenda social prioritária, que é enfrentar a fome, a pobreza, a miséria e sem renunciar a planos estratégicos militares de cada um dos países", disse.

 

Velásquez disse que o chanceler peruano, José García Belaúnde, está programando o itinerário de países que serão visitados pela delegação peruana.

 

O presidente Alan García propôs no mês passado perante a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) que os países latino-americanos assinassem um pacto de não agressão para garantir a paz e deter a excessiva despesa militar realizada nos últimos anos.

 

Segundo o Governo peruano, a proposta gerou uma reação positiva na maioria dos governos da América Latina, com exceção do Chile.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.