Peru entra com ação contra o Chile por fronteira marítima

O Peru entrou com uma ação contra o Chilena Corte Internacional de Justiça de Haia na quarta-feira, emuma disputa de fronteira marítima na qual exige mais das águaspesqueiras do Oceano Pacífico, localizadas entre os doispaíses. A ação atraiu uma resposta irritada do Chile, que declarouque a atitude desconsidera um tratado de décadas sobre afronteira, fechado pelos países andinos. Peru e Chile são os maiores produtores mundiais de peixes,usados como alimento para o gado, e as águas pesqueirasrepresentam importantes receitas para as duas economias. "O Chile profundamente, eu enfatizo o profundamente,lamenta essa ação", disse o ministro chileno do Exterior,Alejandro Foxley. A fronteira marítima existente, marcada na década de 1950,começa perto da divisão por terra. O Chile diz que os países têm um legítimo acordofronteiriço, mas o Peru alega que é um acordo semcomprometimento e que ele rouba do país 37.900 quilômetrosquadrados de águas pesqueiras. A fronteira proposta pelo Peru é uma linha a sudoeste queacompanha a diagonal da divisão por terra, até dentro do OceanoPacífico. "O caso em Haia vai resolver a controvérsia bilateral daforma mais civilizada e sensível", afirmou o presidenteperuano, Alan Garcia, ao Congresso do país. (Reportagem de Jean Luis Arce e Marco Aquino em Lima, PavJordan em Santiago e Alexandra Hudson em Haia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.